Entre Livros       

Índice:

144 - DA IDEOLOGIA DO TEMPO VIVO

143 - O ADIAMENTO É PREFERÍVEL AO ERRO

142 - USA: SEX, LIES AND VIDEOTAPE

141 - GOODFELLAS

140 - BARACK OBAMA EM HIROSHIMA

139 - PALMIRA RESGATADA

138 - INQUIETUDE

137 - PRESIDENTE DIRIGE-SE À NAÇÃO

136 - SAMPAIO DA NÓVOA: LISURA E SOBRIEDADE

135 - DA ILUSÃO DO PROGRESSO

134 - EXASPERAÇÃO

133 - UMA CAMPANHA DISFÓRICA

132 - A CASA EUROPA

131 - O DESPOTISMO EUROPEU

130 - A CAPITULAÇÃO DA PRIMAVERA SOCIAL

129 - PORTUGAL ESMORECIDO

128 - TERMINOU A VII CIMEIRA DAS AMÉRICAS

127 - O DECLÍNIO DO VENERÁVEL

126 - DA SATURANTE SERVIDÃO

125 - EUA: RESPONSABILIDADE E UTOPIA

124 - ONU: PORTUGAL NO CONSELHO DE DIREITOS HUMANOS

123 - CESSA O EMBARGO A CUBA

122 - GOLDFINGER & CIA

121 - Dilma Rousseff inicia segundo mandato

120 - OBAMA REFORÇA A IDEOLOGIA

119 - O PESADELO LÚCIDO

118 - DA APOLOGIA DO MEDO

117 - QUO VADIS, EUROPA

116 - ABRIL

115 - PAZ E DIPLOMACIA

114 - A Alquimia da vontade

113 - KIEV ? PRAÇA DA INDEPENDÊNCIA

112 - A RECONSTRUÇÃO DO MUNDO

111 - 2014, odisseia na Europa

110 - Mandela

109 - MÁRIO SOARES RESGATA O PATRIOTISMO

108 - ONDJAKI A secreta magia dos gritos azuis

107 - A COLINA DERRADEIRA

106 - UM PAÍS IMPREVISÍVEL

105 - POWER AFRICA

104 - DA OCIDENTAL PRAIA LUSITANA

103 - QUE AGORA JÁ NÃO QUERO NADA

102 - UM CONSENSO ABRANGENTE

101 - NEM FORMOSO NEM SEGURO

100 - AMERICA THE BEAUTIFUL

99 - UM PAÍS ENCANTADO

98 - CANÇÃO PARA AS CRIANÇAS MORTAS

97 - FILOSOFIA DA MISÉRIA

96 - OBAMA NA PRESIDÊNCIA

95 - NOBEL DA PAZ DISTINGUE UNIÃO EUROPEIA

94 - RESILIENCE

93 - ÓDIO

92 - TEAPLOT

91 - VIAGEM DOS AVENTUREIROS DE LISBOA

90 - FERNANDO PESSOA / PROSA DE ÁLVARO DE CAMPOS

89 - A FARSA DO INSTÁVEL

88 - FUNDAÇÂO JOSÉ SARAMAGO

87 - OBAMA ON THE ROAD

86 - O FUROR DA RAZÃO

85 - Geografia do Olhar

84 - ESTOICISMO COERCIVO

83 - O TRAMPOLIM DA LINGUAGEM

82 - NO PAÍS DAS UVAS

81 - ODE À ALEGRIA FUGITIVA

80 - A VIRTUDE DO AMOR

79 - ANGOLA - Metáfora do mundo que avança

78 - Clarabóia

77 - Indignados

78 - APRESENTAÇÃO DE "ORNATO CANTABILE" E "MAR SALGADO"

75 - 11 DE SETEMBRO, 2011

74 - OSLO

73 - Viver é preciso

72 - O grito da garça

71 - MORTE EM DIRECTO, NÃO!

70 - ALEA JACTA EST

69 - CONFRONTO - Porto 1966 - 1972 - Edições Afrontamento

68 - PARVOS NÃO, ANTES CRÉDULOS

67 - DA PERTINÊNCIA & DO ABSURDO

66 - MORTINHOS POR MORRER

65 - VENHA BISCOITO QUANTO PUDER!

64 - VERDADE E CONSENSO

63 - LEAKINGMANIA

62 - SESSÃO DE LANÇAMENTO NA LIVRARIA BUCHHOLZ

61 - UMA APAGADA E VIL TRISTEZA

60 - IMPLICAÇÕES ÉTICAS E POLÍTICAS

59 - NO DIA DE PORTUGAL

58 - FERREIRA GULLAR- PRÉMIO CAMÕES 2010

57 - BENTO XVI - PALAVRAS DE DIAMANTE

56 - O 1º DE MAIO / LABOR DAY

55 - BULLYING E KICKING

54 - O AMOR EM TEMPO DE CRISE

53 - FÁBULAS E FANTASIAS

52 - THE GRAPES OF WISDOM

51 - Do Acaso e da Necessidade

50 - deuses e demónios

49 - CAIM ? o exegeta de Deus

48 - Os lugares do lume

47 - VERTIGEM OU A INTELIGÊNCIA DO DESEJO

46 - LEITE DERRAMADO

45 - Casa de Serralves - O elogio da ousadia

44 - FASCÍNIOS

43 - DA AVENTURA DO SABER , EM ÓSCAR LOPES

42 - TOGETHERNESS - Todos os caminhos levaram a Washington, DC

41 - Entrevista da Prof. Doutora Ana Maria Gottardi

40 - I ENCONTRO INTERNACIONAL DE LINGUÍSTICA DE ASSIS, Brasil?

39 - FILOMENA CABRAL, UMA VOZ CONTEMPORÂNEA

38 - EUROPA - ALEGRO PRODIGIOSO

37 - FEDERICO GARCÍA LORCA

36 - O PORTO CULTO

35 - IBSEN ? Pelo TEP

34 - SUR LES TOITS DE PARIS

33 - UM DESESPERO MORTAL

32 - OS DA MINHA RUA

31 - ERAM CRAVOS, ERAM ROSAS

30 - MEDITAÇÕES METAPOETICAS

29 - AMÊNDOAS, DOCES, VENENOS

28 - NO DIA MUNDIAL DA POESIA

27 - METÁFORA EM CONTINUO

26 - ÁLVARO CUNHAL ? OBRAS ESCOLHIDAS

25 - COLÓQUIO INTERNACIONAL. - A "EXCLUSÃO"

24 - As Palavras e os Dias

23 - OS GRANDES PORTUGUESES

22 - EXPRESSÕES DO CORPO

21 - O LEGADO DE MNEMOSINA

20 - Aqui se refere CONTOS DA IMAGEM

19 - FLAUSINO TORRES ? Um Intelectual Antifascista

18 - A fidelidade do retrato

17 - Uma Leitura da Tradição

16 - Faz- te à Vida

15 - DE RIOS VELHOS E GUERRILHEIROS

14 - Cicerones de Universos, os Portugueses

13 - Agora que Falamos de Morrer

12 - A Última Campanha

11 - 0 simbolismo da água

10 - A Ronda da Noite

09 - MANDELA ? O Retrato Autorizado

08 - As Pequenas Memórias

07 - Uma verdade inconveniente

06 - Ruralidade e memória

05 - Bibliomania

04 - Poemas do Calendário

03 - Apelos

02 - Jardim Lusíada

01 - Um Teatro de Papel


Entendo que todo o jornalismo tem de ser cultural, pois implicauma cultura cívica, a qual não evita que, na compulsão, quantas vezesda actualidade, se esqueçam as diferenças.

No jornalismo decididamente voltado para a área cultural, todosos acontecimentos são pseudoeventos, cruzando- se formas discursivasem que as micropráticas têm espaço de discussão.

Não sendo um género, o jornalismo cultural é contudo uma práticajornalística, havendo temas que podem ser focados numa perspectivacultural especifica ou informativa, numa área não suficientementerígida, embora de contornos definidos.

Assim o tenho vindo a praticar ao longo dos anos, quer na comunicação social quer, a partir de agora, neste espaço a convite da 'Unicepe'.

Leça da Palmeira, 23 de Setembro de 2006

        3 de dezembro de 2016



Por Filomena Cabral

DA IDEOLOGIA DO TEMPO VIVO


Barack Obama: «… a História recordará e julgará o impacto
formidável da figura singular de Castro, no mundo
e nos países em volta dele»


Trump: «Fidel Castro is dead”!

Se uma sociedade estigmatiza os trabalhadores, onde estão as oportunidades para que os mesmos atinjam padrões valorizados? Limitando e fechando os canais de acesso à prosperidade, a mesma sociedade exerce colossal pressão interna, forçando esta desvios do comportamento: os que não conseguem transpor as fronteiras de «classe», as vítimas dessa contradição nem sempre têm a lucidez de perceber que o seu estado é inerente à estrutura social.

O sistema que transforma milhões de trabalhadores em párias faz visível a correlação entre crime e pobreza. A discrepância social tem sido, além disso, um solo fértil para a manipulação. O «conformismo» é a adaptação mais comum, uma vez que deseja os objectivos e aceita os meios de que o sistema dispõe para alcançá-los. Por sua vez, os conformistas mantêm a rede de expectativas que constitui a ordem social, mediante um comportamento obediente aos esquemas estabelecidos.

A ideologia de que a oportunidade está ao alcance de todos, «querer é poder», leva à identificação com os que estão no topo, não com os pares. Para a maior parte da população, a riqueza é consagrada como um valor em si, é símbolo de prestígio, sendo que a origem do dinheiro, abstracto e impessoal, pode ser ignorada e anónima. Até onde a riqueza de Trump terá contribuído para o escandaloso resultado eleitoral? Aquele homem iria ensinar-lhes «como se faz»; tomo para exemplo um triste empresário português, cujo nome não recordo, que se dirigiu aos Estados Unidos, na altura da campanha eleitoral «para aprender - dizia -, tentaria até falar com Mr. Trump.» Para minha vergonha, assisti à curta entrevista na CNN.

Atento ao estado das coisas, o Presidente Barack Obama tenta aligeirar a leviandade de Trump – voltemos à epígrafe - na morte de Castro e declara estender a mão da amizade ao povo cubano. «Sabemos os cubanos - em Cuba e nos Estados Unidos - emocionados, recordam quanto e como Castro mudou o curso de vidas, famílias e a nação cubana. A história recordará e avaliará o impacto da sua figura singular no povo e no mundo. E reforça: «Hoje, enviamos condolências à família de Fidel Castro, morto aos 90 anos, e os nossos pensamentos e preces estão com o seu povo, que sabe que tem um amigo nos Estados Unidos da América.»

Em contraste, Trump limitara-se a twittar: « Castro morreu!»

Apesar de Donald Trump poder «reverter» a Política de Obama em relação a Cuba, o ainda Presidente reiteraria, na ocasião, o seu trabalho para reestabelecer relações diplomáticas entre os Estados Unidos e Cuba: «durante quase seis décadas – reforça - o relacionamento entre os dois Estados foi marcado por profundos desentendimentos políticos; durante a minha presidência, empenhámo-nos em deixar o passado para trás, avançando para um futuro em que o relacionamento entre os nossos países será definido não pelas nossas diferenças mas por muitos aspectos que partilhámos enquanto vizinhos e amigos – laços familiares, culturais, comércio e humanidade.» E destacaria que este compromisso inclui o contributo dos Americanos-cubanos, «que tanto têm dado ao nosso país e que muito se preocupam com famílias e amigos em Cuba.»

(Numa visita histórica em Março - que nesta rubrica destaquei -, Obama e sua família ali passaram dois dias em visita de Estado, que incluiu encontro célebre com Raul Castro. Foi a primeira visita a Cuba de um Presidente americano em exercício, em cerca de 60 anos.)

O Presidente Obama decidiria, no entanto, não enviar delegação presidencial ao serviço fúnebre de 3ª feira passada, na qual estiveram presentes dois oficiais da administração da Casa Branca, conforme comunicado de Josh Earnest, secretário para a imprensa. Dois diplomatas de topo, Ben Rhodes e Jeffrey De Lauren, diplomatas em Cuba, estarão presentes na cerimónia. Rhodes teve papel importante na normalização da política do Presidente Obama anunciada há dois anos – segundo aquele -, tendo sido o principal interlocutor com o Governo Cubano e a Casa Branca, em implementação política de sucesso.» Aliás, Rhodes planeara já deslocar-se a Cuba esta semana, assim aliando as conversações oficiais com o governo Cubano e a Embaixada dos Estados Unidos, agendadas – pelo que participariam nas exéquias de Fidel Castro, por considerar que este seria um modo apropriado de mostrar respeito e participar no serviço fúnebre, apesar das diferenças entre «os nossos dois Países» - reforçaria o Presidente em exercício.

E enquanto a controvérsia dos votos continua, Donald Trump avisa: tentará reverter as diligências do seu Presidente, a menos que Cuba chegue «a um acordo mais favorável, permitindo voos directos entre os dois países e aumento da entrada de charutos e rum levados pelos viajantes para os Estados Unidos, para consumo pessoal, desde que o Governo Cubano garanta mais liberdade para o seu povo… E dando uma no cravo, outra na ferradura, o homem de negócios futuro presidente (!), vai informando que todas as concessões de Obama a Castro serão sujeitas a ordens executivas, o que significa – garante o próprio – que o próximo presidente poderá revertê-las: espera que o Governo Cubano atenda aos seus desígnios, que incidirão na liberdade religiosa e política do povo cubano e libertação dos presos políticos. Evidente o autoritarismo da personagem, crítica de Fidel.

Atento, o Presidente Obama, em entrevista, declarou ter transmitido a Trump, durante a sua visita à Casa Branca, que uma vez neste escritório ( a sala oval), ele seria parte de um legado que vem já dos primeiros revolucionários.«E isto, em democracia, deve ser mantido.» Assim, para além de tudo – reforçara - o presidente precisa reconhecer que isto não é dele, nem relativo ao seu poder ou posição, sim ao que herdámos do nosso passado. E ainda que um presidente deve rodear-se de pessoas decentes, passar o seu tempo a aprender e a entender que há jogos que não devem ser jogados, destacando que o melhor da sua capacidade deverá contemplar decisões que pense serem as melhores para o povo Americano, e ter consciência do privilégio e responsabilidade inerentes ao cargo(...)»

Donald Trump, cuja imagem oscila entre «salvador da América» e «perigoso demagogo», vai formando o seu círculo de notáveis, formulando convites aparentemente irrecusáveis. Certo será que a personagem já deverá ter tomado consciência da sua incapacidade, para além do autoritarismo e do tagarelar, sempre que pode, enveredando por verborreia dificilmente entendível; mas os que o ouvem, vendo nele as torres, and so on, aplaudem. Donald Trump continuará a exibir o discurso histriónico, vazio de ideias, populista, indo ao encontro da teoria de André Malraux , «vira democracias intervir contra quase tudo, salvo contra os fascismos.» «Hail, Trump!» O tempo vivo, o nosso, aturdido com a memória, tenta ainda e sempre aliciar o Anjo da História: gostaríamos que olhasse para o futuro, para que o antecipássemos. Todavia, tempestade que sopra do paraíso aprisiona-o, rodeado de ruínas de outros tempos que foram vivos ...

Fidel Castro será sepultado hoje, Domingo, em Santiago de Cuba, agasalhado pela História.

2016-12-03

.


LIVROS DISCOS LIVROS DISCOS LIVROS DISCOS LIVROS DISCOS LIVROS DISCOS LIVROS DISCOS