200º Jantar de Amizade UNICEPE,
para o 100º aniversário de António Peixoto da Costa Neves,
com o Grupo "As Mulheres da Eira"



Vídeos da sessão:




Fotografias de Ana Almeida Santos






































































































































































































































































































































































Fotografias de Rui Vaz Pinto






































































Ementa:
      Sopa e pão, Água, Vinhos verde branco de Baião e maduro tinto de São João da Pesqueira.
      Arroz de pato, Bolo de bolacha.
      Café.
      E bolo de aniversário e espumante na Unicepe.
      Preço: 20,00 euros por pessoa.
      Limite para o pagamento: 2024-03-14.
      Pagamento: Ao balcão, ou por transferência para IBAN PT50 0010 0000 12484870001 06

      António Peixoto da Costa Neves

        • Nascido a 20 de março de 1924, em Cepelos (Covelo) – Amarante.
        • Aposentado da Caixa Geral de Depósitos.
        • Membro da Comissão Dinamizadora da Integração dos Empregados da C.G.D. no Sindicato dos Bancários do Norte.
        • Sócio do STEC (Sindicato dos Trabalhadores do Grupo CGD).
        • Sócio da ANAC (Associação Nacional dos Aposentados da Caixa).
        • Sócio da Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto.
        • Sócio do Grupo de Amigos da Biblioteca Museu Municipal de Amarante.
        • Membro eleito da 1ª Comissão de Trabalhadores da CGD.
        • Fez parte da Direção de várias coletividades de Amarante, entre as quais a Banda de Música e os Bombeiros Voluntários.
        • Foi um dos fundadores de O Jornal de Amarante, do Orfeão Académico Amarantino e do Grupo de Teatro Os Hipopótamos dos Trabalhadores da CGD (grupo que esteve à frente dos destinos da APTA – Associação Portuguesa de Teatro de Amadores - durante alguns anos).
        • Já com a denominação de Teatro na Caixa, com a peça «Tio Vânia», conquistou 3 Prémios da Crítica, incluindo o de Melhor Espetáculo de 1981.
        • Membro do júri, em representação da APTA, de alguns festivais de Teatro de Amadores promovidos pela Intersindical e Associações de Benemerência.
        • Fundador e componente dos 1º Grupos Corais da CGD em Lisboa e Porto.
        • Correspondente do Jornal de Notícias em Amarante nas décadas de 50 e 60.
        • Colaborador dos jornais República (através da sua Delegação no Porto), J.N., Flor do Tâmega, Amarante Municipal, O Jornal de Amarante, Tribuna de Amarante, Nortada (Sindicato dos Bancários do Norte), Jornal da ANAC (Aposentados da CGD, Serviços Sociais).
        • Prémios - Jogos florais da ANAC - Vários. - Concurso literário 25 anos do 25 de Abril promovido pela União de Sindicatos do Porto.
        • Outros prémios ... - Excluído de vários concursos públicos por ter assinado as listas do MUD (Movimento de Unidade Democrática).
        • 4 anos como Secretário da “Comissão Reguladora do Comércio Local”, em Amarante, estagiou grátis, de noite, nas Finanças, em 1947, para posterior concurso a efetivo. Teve de comprar máquina de escrever, devido à indisponibilidade de máquina pelos serviços.
        • Quando abriu o concurso, foi o único excluído, de entre 1350 candidatos, devido a ter assinado o apoio à candidatura do general Norton de Matos à presidência da República.

        • Livros publicados (que há muito vem oferecendo à Unicepe, para apoio):
              - Do Terreiro das Navarras ao Terreiro do Paço - Histórias do Covelo / 2006 (esgotado)
              - Gotas de Orvalho - Quadras simples / 2011 (Bibliot. de Autores e Assuntos Amarantinos
              - Canto Livre – Nos 40 anos de abril (Edição de Autor, setembro 2014).

        • Inúmeras menções honrosas do “Concurso de quadras de São João”, do JN, e os prémios 7º, 4º e 1º (de 2008), que cito de memória:
              Quando a Maria bailar
              Com sua saia de balão
              Até as nuvens do céu
              Querem ser pedras do chão.



      Mulheres da Eira
          As Mulheres da Eira são um grupo diversificado de mulheres unidas pela paixão pela música e pela preservação das tradições culturais. Iniciado em 11 de julho de 2023, o projeto visa dignificar a memória de um povo através da recolha de cantigas e canções tradicionais de diferentes regiões do país. Ao unirem as suas vozes e instrumentos populares, as Mulheres da Eira não só mantêm viva a chama das tradições, como divulgam as cantigas que moldaram a identidade da comunidade.

          Composto por:
              Minda Araújo
              Catarina Araújo
              Maria Garcia
              Idalina Roxo
              Maria Carmo Lima
              Florinda Lima
              Lindina Lima
              Natália Andrade


            LIVROS DISCOS LIVROS DISCOS LIVROS DISCOS LIVROS DISCOS LIVROS DISCOS LIVROS DISCOS